Agendamento de Consultas
11 93032-8159
BUSCA

Fertilização In Vitro Clássica

A Fertilização In Vitro (FIV) é a técnica de reprodução onde, após estimulação com gonadotrofinas, há a retirada dos óvulos maduros via ultrassom transvaginal com sedação.
Estes óvulos são fertilizados no laboratório de duas maneiras, na FIV clássica, são colocados cerca de 100 mil espermatozoides ao redor de cada óvulo. Na FIV por ICSI, é injetado um espermatozoide dentro de cada óvulo.

Os embriões com qualidade morfológica e que chegam ao 3° ou 5° dia de desenvolvimento são transferidos para a cavidade uterina através de uma sonda guiada pelo ultrassom.

Algumas indicações:
• Endometriose
• Obstrução tubária
• Alteração no espermograma/ fator masculino
• Infertilidade sem causa aparente (ISCA)
• Fatores imunológicos
• Alterações cromossômicas
• Falha de tratamentos menos complexos.

Fertilização In Vitro com PESA/TESA

Outra opção para os casais cuja impossibilidade de engravidar é decorrente da vasectomia é a Fertilização In Vitro com obtenção cirúrgica dos espermatozoides diretamente do epidídimo.

Para pacientes que apresentam alguma obstrução na saída dos espermatozoides ou que foram submetidos à vasectomia, pode-se colher os espermatozoides para fertilização in vitro seguida de ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoide) diretamente nos epidídimos (PESA) ou testículos (TESA).

PESA (Perdutaneous Epididymal Sperm Aspiration): é realizada com sedação, aspirando-se com uma agulha fina, através de uma punção percutânea (através da pele do escroto), os espermatozoides encontrados no epidídimo.

MESA (microcirurgia para aspiração direta do túbulo epididimário): pode ser utilizada em homens vasectomizados, com excelentes resultados e não lesa o epidídimo. Técnica de alto custo.

TESA (Testicular Sperm Aspiration): uma punção também realizada com sedação, posicionando-se a agulha um pouco mais grossa diretamente no testículo, através da pele do escroto.

TESE (microcirurgia): observação direta dos túbulos seminíferos favoráveis no testículo

A pequena quantidade de espermatozoides coletados por esta técnica não permite que sejam utilizados para inseminação artificial. Por este motivo é necessário usar uma técnica de fertilização in vitro (FIV). A técnica utilizada chama-se ICSI onde um espermatozoide é escolhido para ser injetado em cada óvulo maduro aspirado.